Intervenção de enfermagem centrada no cuidador familiar em sobrecarga

Palavras-chave

Enfermagem; Família, Cuidador Familiar; Stress

Como Citar

Rodrigues, F., & Viegas, L. (2022). Intervenção de enfermagem centrada no cuidador familiar em sobrecarga. Revista De Investigação & Inovação Em Saúde, 5(1), 97–111. https://doi.org/10.37914/riis.v5i1.197

Resumo

Enquadramento: cuidar diariamente de um familiar idoso dependente tem impacto na saúde do cuidador que por sobrecarga transforma-se de pessoa saudável em doente. Objetivos: avaliar o nível de sobrecarga do cuidador familiar e avaliar o efeito de uma intervenção de enfermagem suportada num programa psicoeducativo. Metodologia: estudo quase-experimental. Decorreu em unidades de saúde da região de Lisboa, com dois grupos: grupo experimental (recebeu intervenção de enfermagem suportada por um programa psicoeducativo) e grupo controlo (cuidados habituais). Amostra de conveniência de 64 famílias avaliadas antes e 2 meses após a intervenção. Instrumentos: questionário sociodemográfico e escala de Zarit. Os procedimentos éticos foram considerados. Resultados:  os cuidadores tinham como caraterísticas: média de idade 63 anos, cuidar de 1-3 anos, a moda foi ser do sexo feminino, casado, reformado, ser filha e coabitar com o idoso. A sobrecarga do grupo experimental em T1 (X= 59, 3) diminuiu após a intervenção T2 (X= 53,9), comparativamente ao grupo controlo, cujos valores se mantiveram sem diferenças estatisticamente significativas T1 (X= 51,9) e T2 (X=51,2). Conclusão: a intervenção de enfermagem, de fácil aplicação ajuda o cuidador a adquirir habilidades para lidar com o caregiving, mantendo a função social de cuidar do familiar.

https://doi.org/10.37914/riis.v5i1.197

Referências

Anjos, K. F., Boery, R. N., Pereira, R., Santos, V. C., Boery, E. N. & Casotti, C. A. (2014). Perfil de cuidadores familiares de idosos no domicílio. Fundam. Care, 6(2), 450-461. DOI: 10.9789/2175-5361.2014v6n2p450

Alzheimer’s Association (2019). Alzheimer’s Disease Facts and Figures. Alzheimer’s Dement. The journal of the Alzheimer´s Association, 15(3), 321-87. https://doi.org/10.1016/j.jalz.2019.01.010

Benner, P. (2001). De Iniciado a Perito. Edições Quarteto.

Carter, B. & McGoldrick, M. (2011). As mudanças no ciclo de vida familiar (2ª ed.). Artemed.

Costa, L. G. F. (2016). Visitando a teoria das transições de Afaf Meleis como suporte teórico para o cuidado de enfermagem. Enfermagem Brasil, 15(3), 137-145. https://doi.org/10.33233/eb.v15i3.181

Dantas, P. (2020). A sobrecarga do cuidador informal do idoso dependente e alvo de cuidados de enfermagem de reabilitação na região autónoma da madeira: Um estudo transversal-descritivo. [Tese de Mestrado]. Escola Superior de Enfermagem de S. José de Cluny. http://hdl.handle.net/10400.26/34496

Decreto-Lei nº 101/2006 de 6 de junho (2006). Cria a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados. Diário da República, I Série, Nº 109, p. 3856-3865.

Ducharme, F., Lebel, P., Lachance, L. & Trudeau, D. (2006). Implementation and effects of an individual stress management intervention for family caregivers of an elderly relative living at home: A mixed research design. Research in Nursing & Health, 29, 427-441.

Ducharme, F., Trudeau, D. & Ward, J. (2008). Manuel de l’intervenant: Gestion du stress: Programme psychoéducatif de gestion du stress destine aux proches-aidants d’un parent âgé à domiicile. Université de Montréal.

Eurocarers/IRCCS_ INRCA (2021). Impact of the COVID-19 outbreak on informal carrers across Europe- Final report. Brussels/Ancona.

Family Caregiver Alliance (Eds.) (2006). Caregiver assessment: Principles, guidelines, and strategies for change. Report from a National Concensus Development Conference (Vol I). National Center on Caregiving at Family Caregiver Alliance.

Figueiredo, D. M. P. (2007). Prestação familiar de cuidados a idosos dependentes com e sem demência. [Tese de Doutoramento]. Universidade de Aveiro. http://hdl.handle.net/10773/4664.

Figueiredo, M. H. (2012). Modelo dinâmico de avaliação e intervenção familiar. Lusociência.

Fonseca, C. & Carvalho, C. (2011). Nós & os laços. Instituto Nacional para a Reabilitação.

Fauth, E. B., Femia, E. E. & Zarit, S. H. (2016). Resistiveness to care during assistance with activities of daily living in non-institutionalized persons with dementia: Associations with informal caregivers stress and well-being. Aging Ment Health, 20(9), 888-898. DOI:10.1080/13607863.2015.1049114.

Garcia, T. R., Nóbrega, M. & Cubas, M. (2019). CIPE – Português. Centre for ICNP® Research and Development of the Federal University of Paraiba. International Council of Nurses. https://www.icn.ch/what-we-do/projects/ehealth-icnptm/icnp-download/icnp-translations

Gil, A. P. M. (2010). Heróis do quotidiano. Dinâmicas familiares na dependência. Fundação Calouste Gulbenkian. Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Juntunen, K., Salminen, A-L., Tormakangas, T., Tillman, P., Leinonen, K. & Nikander, R. (2018). Perceived burden among spouse, adult child, and parent caregivers. J. Adv Nurs, 74, 2340-2350. DOI: 10.1111/jan.13733

Lei n.º 100/2019 de 6 de setembro (2019). Aprova o Estatuto do Cuidador Informal. Diário da República, 1.ª série, nº 171, 3-16. Assembleia da República. https://data.dre.pt/eli/lei/100/2019/09/06/p/dre

Meleis, A. I. (2012). Theoretical nursing: development and progress (5 th Edition). Lippincott Williams & Wilkins.

Melo, R., Rua, M., Santos, C., Novais, S., Mota, L., Príncipe, F., & Silva, M., (2021). Intervenção de enfermagem e coping na transição para cuidador familiar. Revista de Investigação & Inovação em Saúde, 4(1), 61-73. https://doi.org/10.37914/riis.v4i1.119

Pan, X., Lee, Y. Dye, C. & Theriot, L. (2017). Financial care for older adults with dementia: Characteristics of adult children caregivers. The International Journal of Aging and Human Development, 85(1), 108-122.

Pires, C., Teixeira, L., Ribeiro, O. & Oliveira, S. (2016). Custo dos Cuidados Informais a Pessoas Idosas da região Norte de Portugal: aplicação do Método do Bem Substituto. Actas de Gerotologia, (1), 1-7. http://hdl.handle.net/10216/82642

PORDATA. (2021). Base de Dados Portugal Contemporâneo. https://www.pordata.pt/Portugal/Indicadores+de+envelhecimento-526-3741

Shah, R., Ali, F. M. Finlay, A. Y. & Salek, M. S. (2021). Family reported outcomes, an unmet need in the management of a patient’s disease: appraisal of the literature. Health Qual Life Outcomes, 19,194, 1-35. https://doi.org/10.1186/s12955-021-01819-4

Sequeira, C. (2010). Adaptação e validação da Escala de Sobrecarga do cuidador de Zarit. Referência, 12(3), 9-16.

Scapini, A. I. N. & Luna, I. J. (2019). Mudanças na comunicação ao longo da terapia de abordagem sistêmica: um estudo de caso. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 10(2), 210-225. DOI: 10.5433/2236-6407.2019v10n2p210

Teles, S., Ferreira, A., Seeher, K., Fréel, S. & Paúl, C. (2020). Online training and support program (iSupport) for informal dementia caregivers: protocol for an intervention study in Portugal. BMC Geriatrics, 20(10), 1-13. https://doi.org/10.1186/s12877-019-1364-z

Wright, L. & Leahey, M. (2019). Nurses and Families: A Guide to Family Assessment and Intervention (7 th Ed.). F. A. Davis Company.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição 4.0.

Direitos de Autor (c) 2022 Fátima Rodrigues, Laura Viegas