Cuidar culturalmente sensível de famílias muçulmanas numa transição de desenvolvimento

Arquivos suplementares

PDF

Como Citar

Jeremias, C., & Rodrigues, F. (2022). Cuidar culturalmente sensível de famílias muçulmanas numa transição de desenvolvimento. Revista De Investigação & Inovação Em Saúde, 5(2), 21–33. https://doi.org/10.37914/riis.v5i1.190

Métricas

Resumo

Enquadramento: as crenças e práticas de saúde constituem uma herança perpetuada nas famílias muçulmanas. A forma como vivenciam o nascimento é uma experiência influenciada por aspetos religiosos e socioculturais. Objetivo: analisar o modo como as famílias muçulmanas vivenciam o processo de transição para a parentalidade. Metodologia: estudo descrito observacional de natureza qualitativa. Questão de investigação: Como vivenciam as famílias muçulmanas o processo de transição para a parentalidade? Amostra de seis mulheres, oriundas de famílias muçulmanas, com idades entre 20-30 anos, residentes em Lisboa. A recolha de informação foi obtida por entrevistas semiestruturadas e os dados foram sujeitos a análise de conteúdo. Foram considerados os procedimentos éticos inerentes à pesquisa. Resultados: das entrevistas emergiram três categorias: Espera apoiada pela família; Nascimento é um assunto feminino; Intergeracionalidade na transição. Conclusões: nas comunidades islâmicas, os papéis parentais e o desempenho da maternagem é apoiado pela família alargada para facilitar as aprendizagens essenciais, pelo que a mãe ou a sogra acompanha a gestação, assumindo as tarefas domésticas, os cuidados e a vigilância à grávida. Nos cuidados à puérpera e ao recém-nascido, estão presentes elementos tradicionais que necessitam da atenção dos profissionais de saúde.

https://doi.org/10.37914/riis.v5i1.190

Referências

Andrews, M., Boyle, S., & Collins, W.A. (2020). Transcultural concepts in nursing care. (8th ed.). Wolters Kluwer.

Attum, B., Hafiz, S., Malik, A. & Shamoon, Z. (2022). Cultural competence in the care of Muslim patients and their families. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK499933/

Barbosa, F.C. & Paiva, C.M. (2017). Sexo/prazer no Islam é devoção. Religião e Sociedade. 37(3): 198-223. http://dx.doi.org/10.1590/0100-85872017v37n3cap08

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. Edições 70.

Bijos, L. (2020). Para além dos véus - ser mulher no islã. Editora UFPB.

Brathwaite, B. (2020). Diversity & cultural awareness nursing practice. Sage publishing company.

Carter C.A. & McGoldrick. M. (2011). The family life cycle: a framework for family therapy. Gardner Press.

Çelik, H. (2020). Mothers and parent’s marital relations: influential agents in father-child relation. World Journal of Education, 10(1), 164-177. https://doi.org/10.5430/wje.v10n1p164

Comunidade Islâmica de Lisboa (2021). O Islão - Breve Resumo. https://www.comunidadeislamica.pt/islao.html

Cunha, A.C.B., Eroles, N.M.S. & Resende, L.M. (2020). Tornar-se mãe: alto nível de estresse na gravidez e maternidade após o nascimento. Interação em psicologia, 24(3), 279-287. http://dx.doi.org/10.5380/riep.v24i3.62768

Duderija, A., & Rane, H. (2019). Islam and Muslins in the west. major issues and debates. Palgrave Macmillan.

Eurostat (2022). Migration and migrant population statistics. Statistics Explained. https://ec.europa.eu/eurostat/statistics-explained/SEPDF/cache/1275.pdf

Farooq, M. (2019). Walayah (guardianship): the authority over a woman’s choice in marriage and how this reflects a desire to control and kafa’a (equality): a barrier to a woman’s marriage choice? Granite Journal, 3(2), 20-27.

Figueiredo, M.H. (2012). Modelo dinâmico de avaliação e intervenção familiar. Lusociência.

Franklin, Q., & Mooney-Doyle, K. (2019). Social, cultural, religious, and family influences on child health promotion. In M. J. Hockenberry, D. Wilson, & C. C. Rodgers. Wong’s nursing care of infants and children (11th ed., pp. 15-40). Elsevier.

Giger, J.N. & Haddad, L.G. (2021). Transcultural nursing: assessment and intervention (8th ed.). Elsevier.

Jeremias, C. (2019). Contributo das variáveis sociocultural e espiritual na apreciação de famílias islâmicas. In H., Ferreira et al (Org). 2º Congresso internacional de enfermagem de saúde familiar & 1º Congresso ibérico de saúde familiar - livro de resumos. (pp. 51). Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Familiar.

Küng, H. (2017). Islão – passado, presente e futuro. Edições 70.

Leininger, M.M. (2018). Transcultural nursing: concepts, theories, research, and practices (5th ed.) McGraw-Hill.

Liversage A. (2020). Polygamy, wellbeing, and ill-being amongst ethnic Muslim minorities. In M. Tiilikainen, M. Al-Sharmani, S. Mustasaari, Wellbeing of transnational Muslim families. marriage, law and gender (pp. 78-93). Routledge.

Marphatia, A.A., Ambale, G.S. & Reid, A.M. (2017). Women’s under-age marriage in south asia. Frontiers in Public Health. Doi: 10.3389/fpubh.2017.00269

Meleis, A.I. (2018). Theoretical nursing. Development and progress (6th ed.). Wolters Kluwer.

Silva, S.R.O., Castro, C.M. & Monteiro, I.F. (2021). Da Síria ao Brasil: dimensões culturais de mulheres imigrantes nas percepções do cuidado e assistência à gestação, parto e pós-parto. Idéias, (12) 01-28. DOI 10.20396/ideias.v12i00.8658527

Tralhão, F., Rosado, A.F., Gil, E., Amendoeira, J., Ferreira, R. & Silva, M. (2020). A família como promotora da transição para a parentalidade. Revista da UIIPS da Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém, 8(1), 17-30 http://ojs.ipsantarem.pt/index.php/REVUIIPS

The Qur’an (s. d.). English Language. The noble qur’an. Translation by Muhammad Taqî-ud-Dîn Al-Hilâlî and Muhammad Muhsin Khân. (pp. 51). King Fahd Complex For The Printing of the Holy Qur’an.

Wrigth, L.M. & Leahey, M. (2019). A guide to family assessment and intervention. (7th ed.). F.A. Davis Company.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição 4.0.

Direitos de Autor (c) 2023 Fátima Rodrigues, Cristina Jeremias