Determinantes no acesso a cuidados continuados em contexto domiciliar

Arquivos suplementares

PDF

Palavras-chave

assistência de longa duração
cuidado domiciliar
acesso aos serviços de saúde

Como Citar

Fonseca, C., & Oliveira, S. (2021). Determinantes no acesso a cuidados continuados em contexto domiciliar. Revista De Investigação &Amp; Inovação Em Saúde, 4(1), 19–33. https://doi.org/10.37914/riis.v4i1.144

Resumo

Enquadramento: A prestação de cuidados continuados em contexto domiciliar promove a saúde e a autonomia dos utentes, contribuindo para a diminuição dos custos em saúde, pelo que assegurar a sua acessibilidade é fulcral. Objetivo: Identificar determinantes passíveis de melhoria no acesso a cuidados continuados em contexto domiciliário. Metodologia: Estudo transversal, descritivo, exploratório e misto, apoiado no modelo conceptual de acesso a cuidados de saúde de Levesque et al. (2013). Numa primeira fase, foram realizadas 4 entrevistas semi-estruturadas a profissionais de saúde com vasta experiência em cuidados continuados. Na segunda fase, foram analisadas 123 respostas ao questionário aplicado a profissionais de saúde que exercem funções em Equipas de Cuidados Continuados Integrados (ECCI). Resultados: Os participantes consideraram que, das dimensões “proximidade”, “aceitabilidade”, “capacidade e acomodação” e “adequabilidade”, os determinantes com maior influência se enquadravam nas dimensões de proximidade e aceitabilidade, e identificaram maior capacidade de intervenção nos determinantes presentes nas dimensões de proximidade e adequabilidade. Conclusão: Para um melhor acesso a cuidados continuados em contexto domiciliário, demonstrou-se prioritário intervir na literacia em saúde, na disponibilização de informação sobre as ECCI e o processo de referenciação, bem como na adequabilidade dos cuidados.

https://doi.org/10.37914/riis.v4i1.144

Referências

ACSS. Administração Central do Sistema de Saúde. (2019). Monitorização da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) - 2019 1ºSemestre. Retirado de http://www.acss.min-saude.pt/wp-content/uploads/2016/07/Relatorio-de-Monitorizacao-da-RNCCI-sem19-vfinal-3.pdf.

Bailie, J., Schierhout, G., Laycock, A., Kelaher, M., Percival, N., O’Donoghue, L., … Bailie, R. (2015). Determinants of access to chronic illness care: a mixed-methods evaluation of a national multifaceted chronic disease package for Indigenous Australians. BMJ Open, 5. http://dx.doi.org/10.1136/bmjopen-2015-008103

Brito, D., Belkis, M., Vilela, I., Vilela, N., & Brito, A. (2019). Obstáculos no Acesso à Saúde pelos Imigrantes: Análise de Género. Revista De Investigação & Inovação Em Saúde, 1(1), 67-73. https://doi.org/10.37914/riis.v1i1.31

Colombo, F., Llena-Nozal, A., Mercier, J. & Tjadens, F. (2011). Help Wanted? Providing and Paying for Long-Term Care. Paris: Estudos de Políticas de Saúde da OCDE. https://doi.org/10.1787/9789264097759-en

Comissão Europeia. (2019). State of Health in the EU: Portugal - Perfil de saúde do país 2019. Retirado de https://ec.europa.eu/health/sites/health/files/state/docs/2019_chp_pt_portuguese.pdf.

Decreto-Lei nº 101/2006 de 6 de junho (2006). Diário da República nº 109. Série I-A. Ministério da Saúde. Lisboa, Portugal.

Felix, H. C., Ali, M., Bird, T. M., Cottoms, N. & Stewar, K. (2019). Are community health workers more effective in identifying persons in need of home and community-based long-term services than standard-passive approaches. Home Health Care Services Quarterly, Jul-Sep, 38(3), 194-208. https://doi.org/10.1080/01621424.2019.1604461

Golden, R., Emery-Tiburcio, E., Post, S., Ewald, B. & Newman, M. (2019). Connecting Social, Clinical, and Home Care Services for Persons with Serious Illness in the Community. The American Geriatrics Society, 67, 412-418. https://doi.org/10.1111/jgs.15900

Guihan, M., Hedrick, S., Miller, S. & Reder, S. (2011). Improving the Long-Term Care Referral Process: Insights From Patients and Caregivers. Gerontology & Geriatrics Education, 32, 135-151. https://doi.org/10.1080/02701960.2011.572041

Hsieh, CM. & Kenagy, G. P. (2020). Exploring the association between quality of homecare services and older adults' well-being. Home Health Care Services Quarterly, 39(2), 65-79. https://doi.org/10.1080/01621424.2020.1726849

Lette, M., Boorsma, M., Lemmens, L., Stoop, A., Nijpels, G., Baan, C. & Bruin, S. (2020). Unknown makes unloved - A case study on improving integrated health and social care in the Netherlands using a participatory approach. Health Soc Care Community, 28, 670-680. https://doi.org/10.1111/hsc.12901

Levesque, J., Harris, M. & Russell, G. (2013). Patient-centred access to health care: conceptualising access at the interface of health systems and populations. International Journal for Equity in Health, 12(18), 1-9. https://doi.org/10.1186/1475-9276-12-18

Ministério da Saúde. (2019). BI da Reforma: Profissionais CSP. Retirado de https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiYzgxYWZjNjktZDU4YS00MWNmLTgxNDItNTFiNTk1MTFmZTEzIiwidCI6IjIyYzg0NjA4LWYwMWQtNDZjNS04MDI0LTYzY2M5NjJlNWY1MSIsImMiOjh9.

Moura, A. (2020). Does long-term care provision reduce hospital bed-blocking? Evidence from a policy reform in Portugal. Tilburg University, Department of Econometrics and Operations Research. Retirado de http://conference.iza.org/conference_files/UniDuisburg_2020/moura_a29961.pdf.

OPSS. Observatório Português dos Sistemas de Saúde. (2018). Meio Caminho Andado: Relatório Primavera 2018. Retirado de http://opss.pt/wp-content/uploads/2018/06/relatorio-primavera-2018.pdf.

Schulz, M., Czwikla, J., Tsiasioti, C., Schwinger, A., Gand, D., Schmiemann, G., … Rothgang, H. (2020). Differences in medical specialist utilization among older people in need of long-term care – results from German health claims data. International Journal for Equity in Health, 19(22), 1-10. https://doi.org/10.1186/s12939-020-1130-z

Suurmond, J., Rosenmoller, D., Mesbahi, H., Lamkaddem, M. & Essink-Bot, M. (2016). Barriers in access to home care services among ethnic minority and Dutch elderly - A qualitative study. International Journal of Nursing Studies, 54, 23-35. https://doi.org/10.1016/j.ijnurstu.2015.02.014

Teixeira, V., Macedo, A. M., Borges, C., Carrapa, S., China, S. & Cunha, R. (2016). O impacto do nível socioeconómico na acessibilidade aos cuidados de saúde primários: estudo em quatro unidades de saúde do Norte de Portugal. Rev Port Med Geral Fam, 32(6), 376-86. http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v32i6.11958

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição 4.0.

Direitos de Autor (c) 2021 Carina Fonseca, Susana Oliveira