A satisfação sexual do homem na transição para a parentalidade

Arquivos suplementares

PDF

Palavras-chave

pai
pais
parentalidade
sexualidade

Como Citar

Pinto, P., Leal, R. ., Costa, I., & Tavares, A. R. (2022). A satisfação sexual do homem na transição para a parentalidade. Revista De Investigação & Inovação Em Saúde, 5(1), 59–68. https://doi.org/10.37914/riis.v5i1.168

Resumo

Enquadramento: o nascimento de um filho acarreta modificações na vida do casal que inclui a sexualidade, sendo a perspetiva do homem raramente explorada. Objetivos: descrever a satisfação sexual do homem após o nascimento de um filho; verificar a existência de relação entre a satisfação sexual e as caracteristicas pessoais e familiares. Metodologia: estudo descritivo-correlacional, transversal com pais de crianças com idade >= 1 mês e <= 1 ano. A amostragem foi não probabilistica (n=101), cujo questionário difundido online integrou a Nova Escala de Satisfação Sexual validada para a população portuguesa por Pechorro et al. (2015). Resultados: a satisfação sexual dos homens foi positiva, tendo a menor pontuação sido atribuída aos itens que diziam respeito à disponibilidade, criatividade e diversidade da sua parceira para a relação sexual. Verificou-se a inexistência de relação estatisticamente significativa entre a satisfação sexual do homem e as suas características pessoais e familiares. Conclusão: o homem tem expetativas em relação à parceira no que respeita à sexualidade. Os profissionais de saúde devem valorizar a sexualidade na perspetiva do casal, na transição para a parentalidade. Sugere-se investimento na comunicação e partilha igualitária de tarefas domésticas entre o casal para que se reserve disponibilidade para a sexualidade.

https://doi.org/10.37914/riis.v5i1.168

Referências

Associação para o Planeamento da Família (s.d.). Sexualidade. http://www.apf.pt/sexualidade

Banaei, M., Kariman, N., Ozgoli, G., Nasiri, M., Ghasemi, V., Khiabani, A., … Mohamadkhani Shahri, L. (2021). Prevalence of postpartum dyspareunia: A systematic review and meta-analysis. International Journal of Gynecology and Obstetrics, 153, 14–24.

https://doi.org/10.1002/ijgo.13523

Barata, A. C. F. (2013). Avaliação do estado funcional em pais primíparos e pais multíparos às 6-8 semanas pós-parto. (Dissertação de Mestrado). Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra. http://repositorio.esenfc.pt/?url=vR1hDC9D

Berens, P. (2020). Overview of the postpartum period: normal physiology and routine maternal care. UptoDate, 15, 1–34. https://www.uptodate.com/contents/overview-of-the-postpartum-period-normal-physiology-and-routine-maternal-care#!

Carteiro, D. & Marques, A. (2010). Os homens e a gravidez. Cadernos de Sexologia, 3, 67-76. http://hdl.handle.net/10400.26/6076

Direção-Geral da Saúde. (2015). Programa Nacional para a Vigilância da Gravidez de Baixo Risco (Direção-Geral da Saúde, Ed.) https://www.dgs.pt/em-destaque/programa-nacional-para-a-vigilancia-da-gravidez-de-baixo-risco-pdf11.aspx

Ferreira, M. C., Campos, C. C., Sousa, J. & Santos, B. (2018). The effect of mode of delivery on female postpartum sexuality. Acta Obstet Ginecol Port, 12 (1), 55-9. http://www.fspog.com/fotos/editor2/10-ar_17-00028.pdf

Gutzeit, O., Levy, G. & Lowenstein, L. (2020). Postpartum Female Sexual Function: Risk Factors for Postpartum Sexual Dysfunction. Sexual Medicine, 8 (1), 8-13. https://doi.org/10.1016/j.esxm.2019.10.005

Henriques, C., Santos, M. L., Caceiro, E. & Ramalho, S. (2015). Determinantes na transição para a parentalidade. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Ed. Esp. 2, 63-68. https://doi.org/10.19131/jpmhn.0010

Kalka, D. (2018). Sexual Satisfaction, Relationship Satisfaction, and Quality of Life in Individuals with Type 2 Diabetes: Evidence from Poland. Sexuality and Disability, 36, 69-86. https://doi.org/10.1007/s11195-017-9516-6

Magalhães, J., Couto, G., Fernandes, C., & Oliveira, I. (2018). Envolvimento do pai no período prénatal: revisão integrativa. Revista de Investigação & Inovação em Saúde, 1(2), 53-65. https://doi.org/10.37914/riis.v1i2.42

McDonald, E., Woolhouse, H. & Brown, S. J. (2017). Sexual pleasure and emotional satisfaction in the first 18 months after childbirth. Midwifery, 55, 60-66. http://doi.org/10.1016/j.midw.2017.09.002

Meleis, A. I. (2010). Transitions Theory: Middle-range and situation-specific theories in nursing research and pratice. New York: Spring Publishing Company. https://taskurun.files.wordpress.com/2011/10/transitions_theory__middle_range_and_situation_specific_theories_in_nursing_research_and_practice.pdf

Pardell-Dominguez, L., Palmieri, P. A., Dominguez-Cancino, K. A., Camacho-Rodriguez, D. E., Edwards, J. E., Watson, J. & Leyva-Moral, J. M. (2021). The meaning of postpartum sexual health for women living in Spain: a phenomenological inquiry. BMC Pregnancy Childbirth, 21, 92. https://doi.org/10.1186/s12884-021-03578-y

Pechorro, P. S., Almeida, A. I., Figueiredo, C. S., Pascoal, P. M., Vieira, R. X. & Jesus, S. N. (2015). Validação Portuguesa da Nova Escala de Satisfação Sexual. Revista Internacional de Andrologia, 13(2), 47-53. https://doi.org/10.1016/j.androl.2014.10.003

Rosen, N. O., Williams, L., Vannier, S. A. & Mackinnon, S. P. (2020). Sexual Intimacy in First-time Mothers: Associations with Sexual and Relationship Satisfaction Across Three Waves. Arch Sex Behav, 49 (8), 2849–2861. https://doi.org/10.1007/s10508-020-01667-1

Sanchez-Fuentes, M. M., Santos-Inglesias, P. & Sierra, J. C. (2014). A systematic review of sexual satisfaction. International Journal of Clinical and Health Psychology, 14, 67−75. https://www.redalyc.org/pdf/337/33729172008.pdf

Sagnier, L., Morell, A., Mesa, M., Yanguas, G., Morcillo, R., Baumberger, B., Torres, S. & Torres, E. (2019). As mulheres em Portugal, hoje: quem são, o que pensam e como se sentem. Fundação Francisco Manuel dos Santos. https://www.ffms.pt/FileDownload/b6eb24e5-3bf3-411d-9f35-b51a7ebed3e8/estudo-mulher-completo

Martins, C. A., Abreu, W. J. & Figueiredo, M. C. (2017). Tornar-se pai ou mãe: O desenvolvimento do processo parental. Fronteiras, 6(4), 146-161. http://doi.org/10.21664/2238-8869.2017v6i4.p146-161

Silva, M. C. F. (2017). Transição para a parentalidade no primeiro ano de vida da criança: conhecimento dos pais sobre desenvolvimento infantil. (Dissertação de Mestrado). Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra. file:///C:/Users/Utilizador/Downloads/D2016_10002023002_21520001_3%20(2).pdf

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição 4.0.

Direitos de Autor (c) 2022 Patrícia Pinto, Rita Leal, Ilídia Costa, Ana Rita Tavares